Artigos, Opinião

Médicos e veterinários do bem

Foi publicado no site da ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais) um artigo intitulado como “Médicos ou veterinários do mal?” (clique para ler) onde foi exposta de forma errônea a atuação do Médico Veterinário desde seu trajeto na faculdade até a sua formação e atuação na vida profissional.

O artigo atingiu todos da classe veterinária sem fazer qualquer distinção, apunhalando todos envolvidos na profissão com acusações duras e má formuladas, cheias de ódio, informações e referências erradas. Quem realmente vive e ama a veterinária, ao ler tais barbaridades e insinuações em forma de frases, creio que sentiu no fundo da alma a tristeza que a falta de respeito traz.

Todos pensam que o estudante de medicina veterinária foi induzido a fazer tal faculdade pelo amor que sente pelos animais. Com certeza este fato é muito importante para tal decisão, porém, não é o único. Medicina veterinária é ciência e vai muito além do carinho e do amor pelos cachorrinhos e gatinhos.

vet da depre 1

Fonte: driggsvet.com

Durante a trajetória do curso é muito explanado sobre ética profissional e bioética, inclusive na grade tem um espaço dedicado a essa matéria, que é onde se determina como nós, médicos veterinários, temos que agir racionalmente e prudentemente. Embora cultivamos todo amor, do cuidado e dedicação com os animais, temos uma obrigação que vai além desses sentimentos, que é o respeito e a valorização da vida animal.

Código de Ética do Médico Veterinário é um instrumento normativo do Conselho Federal de Medicina Veterinária – CFMV – que foi feito para adequar o exercício e caráter profissional com direitos e deveres para a prestação de serviço de excelência ao paciente, ao proprietário e à comunidade em geral. A moral do profissional se fundamenta no cumprimento e obediência dessas regras.

Em relação ao artigo da ANDA, citado acima, temos a opinião do blogueiro Humberto Cunha, a seguir, que tem domínio e experiência na área alimentícia, para ressaltar pontos importantes abordados nas declarações feitas pelo autor do artigo:

O escopo do autor, ao redigir o texto, foi simplesmente atacar todos aqueles que vão contra seus princípios ético-profissionais. Se você ainda acha que somos veterinários do mal, façamos a seguinte reflexão:

  • Por um momento imagine que, a partir de amanhã, não houvesse mais médicos veterinários na indústria da carne (criticados pelo autor). Quais seriam as consequências?

Figura: Imagine um mundo sem os veterinários da indústria da carne.

vet da depre 2

Fonte: Deskbg.com
  • Não haveria o devido respeito ao bem estar animal no momento do abate. Ao estudar a bioética, o veterinário é o grande responsável por conscientizar/educar o empresariado sobre este assunto.
  • Não haveriam condições apropriadas para criação dos animais de produção. Explorar os potenciais zootécnicos dos animais, sem a presença do médico veterinário, prejudicaria a ambiência.
  • Não haveria embasamento sanitário para exportação/importação dos animais de produção, portanto isso seria uma ameaça à saúde animal (dos rebanhos).
  • Os produtos cárneos trariam sérios riscos à saúde do consumidor (zoonoses), uma vez que a inspeção dos animais in vivo e post – mortem, bem como o controle da qualidade do processo, não seriam exequíveis. Você consumiria estes produtos sem certificação sanitária:
    • Hambúrgueres, bacon, salame, copa, linguiças, presunto e produtos cárneos em geral.
Figura: Produtos de Origem Animal – carnes.

vet da depre 3

Fonte: ruralpecuaria.com.br

A meu ver o autor, ao expressar suas convicções, mostrou desconhecer o verdadeiro papel do médico veterinário na indústria da carne e deixou claro que, em detrimento à sua filosofia de vida, qualquer veterinário que esteja envolvido da criação ao abate, mesmo sob os princípios da bioética, é um assassino.

O título de “médico” que ele quer nos tirar, pouco me importa. O que mais me incomoda é associar nossa área de atuação com seres humanos cruéis e sem escrúpulos. Quem é da área, vai meu conselho:

“Preocupe-se mais com o serviço que você está prestando para a sociedade, do que com opiniões carregadas de ódio e ignorância”.

Previous ArticleNext Article
Estudante do último ano de Medicina Veterinária que escreve por amor e pela alegria de estar ajudando os animais, cheia de sonhos para realizar no mundo fantástico da veterinária, e, que sempre viaja para um universo paralelo literário, transportada pelas histórias maravilhosas que os livros nos presenteiam.