Do abate à docência – relatos de um veterinário

“I’ve had an epiphany!” (Eu tive uma epifania). Essa expressão traduziria muito bem meu atual estado de espírito. Epifania é uma súbita sensação de entendimento ou compreensão da essência de algo. O termo é usado nos sentidos filosófico e literal para indicar que alguém “encontrou finalmente a última peça do quebra-cabeças e agora consegue ver a imagem completa”. O que quero dizer com isso? Essa sensação surgiu dias atrás quando eu refletia sobre o propósito da minha vida, em especial a vida profissional. Acompanhe – me ao longo deste texto e você compreenderá a mensagem final.

“Sou médico veterinário, especializei em ciência avícola, estagiei em vários setores da inspeção de produtos de origem animal, trabalhei por quatro anos em abatedouro – frigorífico de frango e não imaginava o que a vida me reservava. Agradeço todas oportunidades que tive em cada fase acadêmica/profissional e também às pessoas que somaram em meu aprendizado. Eu sempre soube que a área que mais me trazia satisfação, era a ciência e tecnologia de alimentos (carnes). Comecei então a buscar meu espaço dia após dia”.

Foi trabalhando num abatedouro frigorífico que acabei despertando ou redescobrindo um certo dom (adormecido). Em 2012, atuava essencialmente dentro da fábrica e numa certa ocasião, devido reajuste de funcionários, fui convidado a ministrar treinamentos para a equipe do SIF. Passaria tecnicamente de uma importante função de supervisão para funções administrativas. No princípio refutei a ideia, achando tudo isso uma despromoção. Seria normal alguém na minha posição encarar isso como um bom motivo para pedir demissão e buscar uma nova oportunidade, porém não foi isso que aconteceu. Resolvi encarar o desafio, prometendo para mim mesmo que daria o meu melhor. Read more

Sou veterinário! Posso trabalhar com alimentos?

Você está se formando e eis que surge o seguinte diálogo…

Fulano: “Agora você poderá cuidar da Nina (sua gatinha), não é?”

Você: “Eu pretendo seguir minha carreira com alimentos (leia-se produtos de origem animal – POA).

Fulano: “Mas você não é veterinário?” (bugou)

Se você está se formando e já presenciou o diálogo exposto, não pense que você está sozinho. Bem vindo ao time! Grande parte da população brasileira desconhece essa área de atuação do médico veterinário, afinal o senso comum associa o veterinário à clínica de grandes e/ou pequenos animais (ou silvestres em alguns casos) e produção de animais de corte e leite.

Acontece que o curso de medicina veterinária oferece subsídios ao acadêmico para que este ingresse no mercado de trabalho dos alimentos. Todavia duas perguntas são essenciais para darmos um desfecho:

1) Quais disciplinas são fundamentais para embasar o aluno?

2) Qual a melhor área de atuação do veterinário com alimentos?

Read more