fbpx

Top 6 frases equivocadas ouvidas pelos veterinários nos consultórios

Encontrei um excelente texto originalmente escrito pelo Dr. Greg Magnusson, da Clínica Leo’s Pet Care, na qual eu traduzi e “adaptei” à realidade brasileira para o blog. Enfim, achei uma ótima forma de expor alguns pontos que os proprietários de animais muitas vezes não fazem ideia que existam, e acabam se confundindo.   Confira logo abaixo:

Acredite ou não, uma das coisas que dá mais trabalho aos médicos veterinários é convencer o proprietário de que seu animal está doente ou com dor.

O clínico veterinário é treinado para ouvir, ver e sentir sinais reveladores que você pode não ter notado em sua casa.

Acredite em seu veterinário quando ele diz que seu pet está doente ou com dor. É o nosso trabalho saber dessas coisas.

Geralmente, a mensagem que o veterinário recebe do animal durante o exame clínico é muito diferente daquela interpretada pelo dono em sua casa. O ambulatório veterinário normalmente tem uma luz melhor que a da sua sala de estar, com o estetoscópio pode-se ouvir melhor do que somente com seu ouvido… Algumas vezes, você apenas tem que acreditar que aquele tumor está dolorido, ou que aquela perda de peso é devido à náusea e desconforto estomacal, ou que claudicação (“mancar”) é igual à dor.

Então, sem mais delongas, aqui vai o Top 6 frases equivocadas ouvidas pelo veterinário durante a consulta.

  1. “Meu cachorro está mancando, mas ele não chora quando anda, então eu acho que ele não está com dor…”

Os clínicos veterinários sabem que os pets são mestres na arte do disfarce. Cães e principalmente gatos são feitos para esconder doenças. Na vida selvagem, os fracos sempre são atacados. Quando sobreviver é o nome do jogo, andar por aí com uma perna quebrada como se nada estivesse acontecendo, até que tenha tempo de se curar, pode significar a diferença entre a vida e a morte.

Então na maioria das vezes, se você vir seu pet claudicando, isso significa que está doendo demais a ponto de ele deixar de lado seu instinto de esconder a dor, que normalmente é muito grande.

  1. “Meu cachorro está se coçando mas eu não vi nenhuma pulga. Além disso, ele vive em casa, então não tem como ele estar com pulgas.”

Completamente em casa/apartamento? Ele nunca sai nem para urinar?

Nove em cada dez vezes, quando mostramos uma vivaz, respirante e rastejante pulga aos proprietários, eles ficam espantados. Eles normalmente não tem ideia de que seu pet tem ectoparasitas porque normalmente não tem as mesmas ferramentas e a mesma experiência que um veterinário pode ter para encontrar estes bichos. As pulgas são realmente muito boas em se esconder embaixo do pelo de seu animal,  e principalmente no ambiente!

  1. “Meu gato ainda está comendo, então ele não está com dor, certo?”

Ouvimos isso direto. Um animal de estimação pode estar apresentando uma dúzia de sinais clínicos, que vai desde perda de peso à doença periodontal, mas as pessoas estão tão acostumadas a não comer quando elas estão doentes que acham que seu pet irá fazer a mesma coisa. Em fato, seu cão ou gato não tem ideia de que é ao menos possível tratar sua doença, então faz o melhor que pode para tentar comer.

Já que seu animal não entende que a medicina existe, ele irá fazer o que estiver ao seu alcance para comer, até que isso seja fisicamente impossível.

  1. “Meu gato emagreceu só um pouquinho. Tenho certeza que deve ser uma bola de pelos ou alguma coisa assim.”

Animais são feitos para perder peso apenas se não houver comida à sua volta. É a antiga seleção natural, instinto da sobrevivência do mais forte. Acredite, sua gata não quer ser uma topmodel. Quando seu pet perder peso sem estar em uma dieta restritiva, visite o veterinário e espere que ele faça um exame de sangue.

Também tenha em mente o quanto seu bichinho perdeu de tamanho ou de peso. Um gato de 4 kg que perde 1 kg é equivalente a um humano de 80 kg que perde 20 kg! Isso é MUITO!

  1. “Eu sei que ele não consegue levantar, mas meu cachorro ainda está abanando a cauda, então ele ainda está feliz e lutando para viver, certo?”

Oh, isso é o que traz a maioria dos veterinários em prática às lágrimas. Não podemos lhe dizer o quão doloroso é ser chamado para fazer uma eutanásia, e encontrar um Labrador idoso se rendendo, sem conseguir se mover, ficar em pé, ainda lutando para abanar seu grande rabo e parecer feliz. Esta é a grande prova de como os cães realmente querem agradar seus donos, bem aqui. A maioria dos labradores e golden retrievers balaçam o rabo enquanto aplicamos a injeção para eutanasia, e isso nos leva às lágrimas toda vez. Acreditem em nós quando os veterinários não querem fazer a eutanásia e acham que seu animal ainda tem alguma chance de se recuperar.

  1. “Eu sei que ela dorme a maioria do tempo, mas de vez em quando ela levanta e pega um brinquedo, então ela deve estar bem, certo?”

Esse é um assunto difícil para os veterinários conversarem com seus donos. Pacientes idosos tendem a não falecer de repente no meio da noite, mas sim piorar lentamente. Tenha em mente “Ele está tendo mais bons dias do que maus dias?” e considere sempre a possibilidade de uma nova visita ao veterinário!

É claro que as opiniões em relação às doenças podem variar bastante de profissional para profissional, mas ainda assim, dicas como estas são sempre importantes para “abrir a mente” dos proprietários, mesmo que de uma forma diferente. E você, o que achou do texto? Adicione suas dicas ao texto comentando!

Opinião pessoal – Hospital Veterinário Público

Será que estamos preparados para tal iniciativa? Aliás, será que o GOVERNO está preparado para tal iniciativa?
Há algumas semanas começou uma onda nas redes sociais à favor da criação de um Hospital Veterinário Público para quem não tivesse condições de levar seu cão à uma clínica particular, e resolvi fazer um texto sobre minha opinião em relação ao assunto. Veja bem, é minha opinião pessoal sobre tema, visto que antes de “dono” do blog, não sou nada mais do que um mero colunista. Por favor, não me apedrejem!

Antes de mais nada, leve em consideração a situação dos hospistais veterinários das universidades públicas, principalmente das faculdades fora de São Paulo. Sinceramente não sei muito sobre as outras universidades, mas eu sempre tomo de exemplo o hospital da minha, que é considerada uma das melhores do sul do país. Não vou dizer que as condições são precárias, até mesmo porque o ensino é muito bom, mas para vocês terem ideia, o Governo do Estado do Paraná deixou faltar seringas no hospital, que veio a fechar alguns dias da semana porque não teria como aplicar injeções fora do pronto socorro. No começo foram seringas de 3 ml. Algumas semanas depois, acabaram as seringas de 5 ml e de 1 ml, até correr o risco de fechar a rotina do hospital inteiro. Não é raro os residentes terem que optar entre usar o cateter 18  ou 22, porque o 20 simplesmente acabou e não há previsão de compra.  Sem contar os equipamentos sucateados e de segunda mão. Somente neste ano todas as cirurgias foram desmarcadas duas vezes, simplesmente porque a máquina de lavar roupa da década de 80 quebrou. Se o hospital dependesse apenas do estado e não fosse a raça dos professores, diretores e residentes, ele com certeza já estaria fechado.

 

Isso tudo porque a minha faculdade tem “renome“, fico imaginando nas faculdades mais simples e mais novas, que ainda estão montando sua infra-estrutura. O que eu quero dizer é que realmente seria muito bom ter um hospital veterinário público, mas será que este não é apenas mais um elefante branco? Posso estar totalmente enganado, mas ainda acho isto uma utopia, e gostaria de apresentar alguns fatos que ainda não me convenceram.
Onde entra nesta história, a questão da saúde pública humana? Eu sei que a saúde animal é muito importante para a saúde dos homens, mas ainda sim nós somos humanos. Seria justo criar um hospital para cães e gatos, enquanto mal existem médicos no SUS para atender a população carente nos postinhos de saúde? Há alguns dias o dono do Medicina Depressão veio me perguntar se existiam veterinários no sistema  público de saúde, pois iriam reduzir em 50% o vencimento dos médicos. Lutar por um hospital veterinário é fácil enquanto você tem grana para pagar um plano de saúde para seus filhos, agora me diga se uma pessoa que não tem condições de pagar irá preferir salvar a vida do cachorro dela ou do seu filho que estará passando mal.
Outra questão interessante, é a da conscientização da população em geral. Estou CANSADO de ver cachorros e gatos abandonados na porta do hospital veterinário da minha faculdade. Imagino como será quando souberem que existirá um hospital gratuito para isso. Por que não investem este dinheiro em conscientização da população sobre posse responsável, antes de partir para um empreendimento destes? Ah, esqueci que é mais fácil fazer eutanásia em animais abandonados do que campanhas educacionais.
Bom, só queria deixar minha opinião aqui para discutirmos os diferentes pontos de vista. Não é que eu queira gongar a ideia nem nada, mas eu não vejo nexo em algumas coisas. Por que não melhorar o que já existe, ao invés de criar alguma coisa nova? Existem tantos projetos legais de apoio à comunidade carente nas universidades! Se esta ideia pode dar certo, acredito que por enquanto seja só em São Paulo mesmo, porque levando em consideração o meu estado, eu só posso lamentar. Espero que a Anclivepa realmente tome conta e não deixe a ideia virar mais um centro de zoonoses abandonado! Isso que eu não quis nem entrar no mérito de estarmos em ano de eleições.

Enfim, acho que escrevi isso aqui muito rápido, não liguem para os erros de concordância hahaha. E você, o que acha sobre o assunto?

Links:
Projeto de Hospital Veterinário Público no Nordeste
Vereador consegue 10 milhões para construção de HV público
Vereador quer HV público em Curitiba
São Paulo terá Hospital Veterinário público para cães e gatos

Dicas para não dormir no ponto

Que estudante nunca precisou ficar acordado mais tempo que o normal, seja para estudar na véspera de prova, ou para entregar um trabalho de última hora?
O cotidiano do acadêmico e do profissional de medicina veterinária requer muita dedicação, tempo e principalmente esforço: físico e mental. Isso se torna mais evidente em épocas de provas, quando precisamos nos dedicar a milhares de matérias simultaneamente.
Mesmo que estudemos diariamente, alguma hora a faculdade irá nos exigir um tempo extra e infelizmente teremos que perder um pouco do nosso sono. Sabendo de tal necessidade, resolvi compilar em uma postagem algumas dicas pessoais e outras que acabei encontrando na internet e que parecem funcionar muito bem para ficar acordado. As dicas valem também para aquelas aulas em que você está morrendo de sono, mas que precisa prestar muita atenção na matéria!

1. Cheire alguma coisa
Um cheiro forte, ruim ou bom, pode te deixar mais alerta rapidinho. Balas de hortelã ajudam bastante a te deixar mais ligado, principalmente aqueles chicletes de menta forte. Se você gosta de balas de café, também é uma boa hora de unir o útil ao agradável. Halls preto também é uma ótima sugestão!
(pensaram que eu ia falar pra cheirar ou coisa, né? hahaha)
2. Faça massagens
Massageando qualquer um dos seguintes pontos irá melhorar sua circulação e diminuir sua fadiga:
– Topo da sua cabeça (toque levemente com a ponta de seu dedo);
– Parte superior traseira de seu pescoço (cangote);
– Parte de trás de suas mãos (entre seu indicador e o polegar);
– Logo abaixo dos joelhos (abaixo dos joelhos, e não acima! haha);
3. Tire um cochilo
Se você já está estudando há horas e não está aguentando mais, tire um cochilo de meia hora. Pode melhorar sua atenção quando acordar, mas só não vale ceder à cama! Logo que levantar aproveite e tome alguma coisa quente, como o próprio café. Vai te ajudar a ficar mais ligadão!
4. Mastigue gelo
Enquanto estiver mastigando gelo, você nunca cairá no sono. O gelo vai deixar seu cérebro alerta, mesmo que esteja exausto. Você só tem que pesar se vale fazer isso para estudar, pois mesmo que esteja acordado, a fadiga irá lhe tomar conta!
5. Dê um alô para o sol
Se você não está mais aguentando estudar aquele assunto chato, dê uma passeada no jardim e tome um pouco de sol. Se não tiver sol, vá para o lugar mais claro que conseguir. Aproveite e vá ao banheiro lavar o rosto e molhar a nuca. O sono passa que é uma beleza!
6. Se mantenha inconfortável
Não precisa estudar de pé, mas também não tente estudar deitado. Procure uma mesa espaçosa e uma cadeira comum, que te deixe com uma boa postura. Se tentar estudar na cama, seu corpo automaticamente associará que você está indo deitar porque quer dormir (ou fazer outra coisa…), aí já viu né…
Estudar com um pouco de frio também é uma opção razoável, ou pelo menos com um ventilador virado para o seu rosto, comigo funciona!
7. Evite estudar de barriga cheia
Como já dizia o bom e velho Sherlock Holmes, comer muito e pensar não combinam. Todo o sangue que era para estar oxigenando seu cérebro estará concentrado na sua barriga, sem contar que existe todo aquele lance de parassimpático e o caralho a4 sistema nervoso central.
Caso você esteja realmente com fome e só consiga pensar na comida (como eu às vezes, haha) coma uma barrinha de cereal ou uma maçã. A maçã é doce e um pouco azeda ao mesmo tempo, e associado ao ato de movimentar os músculos de seu rosto, ajudará a te acordar de forma saudável. Reza a lenda que uma maçã é o equivalente à uma xícara de café!
8. A cada meia hora, faça algum dos seguintes itens:
– Atividade física por 2-3 minutos (andar por aí ou até mesmo polichinelos)
– Lavar seu rosto com água
– Beber um copo de água gelada (o frio te mantém ligado, e a água te garante que você precisará levantar para ir ao banheiro a qualquer hora! hahaha)
– Escove os dentes
– Masque chicletes. Ajude a movimentar os músculos da face e a trazer mais sangue para sua cabeça!
– Pequenos alongamentos
9. Não se deixe levar
Seu cérebro sempre tentará te levar para o mal caminho, seja no estudo em casa ou na aula da faculdade. Se você sentir que irá começar a pescar, pense por alguns minutos em alguma coisa diferente, veja algum vídeo no youtube, cutuque quem estiver na sua frente, ou qualquer outra coisa que deixe sua mente trabalhando.
A minha estratégia quando estou na aula é sempre fazer uma pergunta. Nem que seja a pergunta mais tosca do universo, ela irá ajudar a focar a atenção em mim e consequentemente a liberar aquela injeçãozinha de adrenalina na circulação.
10. Café e energéticos ajudam
Mas não em altas quantidades! Não adianta você tomar 1 litro de café e virar um zumbi depois. Eu mesmo senti isso na pele quando era calouro. Em uma das minhas primeiras provas, fiz 1 litro de café e tomei tudo só numa sentada à noite. Resultado: não consegui dormir, não consegui estudar e ainda tive uma bela de uma dor de barriga no outro dia!
11. Escreva
Pessoalmente, essa dica me ajuda bastante na hora de ficar esperto durante as aulas. Algumas delas são realmente massantes, e se eu não estivesse concentrado digitando ou escrevendo tudo o que o professor fala, confesso que seria bastante difícil ficar acordado.
12. Chupe um limão
Espere ficar com sono e chupe um limão. Sério, vai por mim. Você irá me agradecer por esta dica! hahaha

E você, qual é sua estratégia de guerra contra o sono nas horas difíceis?
Façam o teste e me contem!

Lembrando que dormir cedo e acordar cedo também ajuda, viu?! hahaha
Depois eu vou fazer um artigo sobre como dormir melhor e melhorar os estudos! 😀
Fontes:

Dica de presente para o dia das mães

 

E aí, já pensou no que dar de presente para sua mãe semana que vem?
Decici deixar a minha dica pessoal para vocês, e indicar o livro “Querida Mamãe – Obrigado por tudo” do fotógrafo e escritor Bradley Trevor Greive, famoso por livros como “Um Dia ‘Daqueles‘” e “O Sentido da Vida“.
Resolvi dar a sugestão porque as fotos do livro são simplesmente fantásticas e, aliadas à perspicácia de suas legendas, o tornam um perfeito exemplo de gratidão às pessoas que tornaram nossa vida possível, ou seja, nossas mães.
Dei este livro para a minha ano passado, e não pude esperar melhor reação dela, senão a de um sorriso emocionado ao ler as primeiras páginas. O diferencial? Fotos inexplicáveis de mães em seus habitats naturais com seus filhotes. Nada melhor do que um presente destes, de um futuro veterinário, não acham?
Enfim, resolvi aproveitar para dar a dica!
Aliás, na Saraiva a edição de bolso do livro está saindo por R$9,90!
 Trechos do livro A incrível verdade sobre as Mães do mesmo autor. Clique nas imagens para ampliar.


Sinopse:
Nem sempre é fácil achar as palavras certas para dizer o quanto gostamos de nossas mães. Como agradecer por toda dedicação, amor e cuidado que recebemos? Querida mamãe vai ajudar os filhos de todas as idades (especialmente os que se dizem crescidos) a expressar esses sentimentos tão fundamentais com uma divertida combinação de palavras e extraordinárias fotografias de animais.
Número de páginas: 84. 
Editora: Sextante.